tres-pilares

3 Pilares do Design Thinking

Vimos no primeiro post da nossa série o que é e onde surgiu Design Thinking. E lhe mostramos, também, como o Design Thinking pode lhe ajudar a promover soluções criativas e inovadoras para os problemas do seu negócio.

Neste artigo você irá conhecer quais são os 3 pilares que alimentam e sustentam a abordagem do Design Thinking.

LEIA TAMBÉM: Design Thinking: inovação para sua empresa

Os 3 Pilares: Empatia, Colaboração e Experimentação

O pensamento inovador e criativo de um designer, e consequentemente do Design Thinking, é estruturado sobre três pilares: Empatia, Colaboração e Experimentação. Conhecendo estes três pilares você poderá construir uma abordagem inovadora e criativa, a partir do pensamento do Design Thinking.

Empatia

“Capacidade de compreender o sentimento ou reação de outra pessoa imaginando-se nas mesmas circunstâncias”.

Empatia - Design Thinking

O primeiro e principal pilar do Design Thinking é a empatia. Para criarmos soluções criativas e aderentes aos problemas das empresas é essencial nos colocarmos no lugar do outro ser humano, buscando entender as suas experiências vividas e o contexto social que ele está envolvido, que compõem os seus comportamentos e decisões.

Apenas deste modo, poderemos criar uma visão multidisciplinar e compreender as reais necessidades, desejos e limitações destas pessoas.

Colaboração / Cocriação

“Agir de forma coletiva para obtenção de determinado resultado”.

colaboracao

Para o Design Thinking, e para criação do conhecimento criativo, é muito importante a colaboração ou cocriação entre diferentes pessoas, criando um conjunto multidisciplinar de saber para que possam surgir ideias e insights inovadores para os problemas observados.

Toda ideia inovadora de fato é fruto da maturação de diferentes perspectivas compartilhadas, somadas e multiplicadas em uma solução comum.

LEIA TAMBÉM: “Os primeiros passos para inovar

Experimentação

“Promover observações e experiências em diversas circunstâncias”.

experimentacao

A Experimentação é a etapa responsável por transformar toda a observação, ideação e criatividade das fases anteriores para à prática.

É nela que observamos e analisamos as nossas ideias em diferentes cenários e circunstâncias, com pessoas em diferentes contextos, coletando os apontamentos e feedbacks para aprimorar as suas ideias, tornando o Design Thinking em um processo não linear e contínuo.

O processo de experimentação nos permite descobrir novas formas de solucionarmos um problema, evitando que cometamos grandes erros, à medida que aprendemos com os pequenos erros cometidos e com a constante possibilidade de consertá-los ao longo do caminho.

Ou seja, quanto mais ideias para testarmos, melhor!

Em síntese…

Neste segundo post da série sobre Design Thinking apresentamos a você os 03 Pilares do Design Thinking. E como a Empatia, a Colaboração e a Experimentação podem alimentar a abordagem do Design Thinking e fomentar a inovação na sua empresa.

Em linhas gerais, para se ter sucesso no processo de Design Thinking é preciso se colocar no lugar das pessoas (colaboradores e clientes), trabalhar em conjunto para alcançar um resultado maior do que apenas a soma das partes e, experimentar, validar e melhorar cada vez mais a sua ideia, sua proposta de valor e/ou o seu negócio.

Gostou do Post? Deixe seu comentário e aguarde os próximos!

LEIA TAMBÉM: “Os principais obstáculos para Inovar nas Pequenas Empresas

The following two tabs change content below.

Breno Paredes

Apaixonado por viagens e praticante de surf e Jiu-Jitsu. Breno Paredes é Diretor Executivo da Cysneiros e Consultores, mestre em Administração e Consultor e Instrutor Empresarial nas áreas de planejamento e gestão empresarial, finanças e inovação.

Comentários

comments

Breno Paredes

Apaixonado por viagens e praticante de surf e Jiu-Jitsu. Breno Paredes é Diretor Executivo da Cysneiros e Consultores, mestre em Administração e Consultor e Instrutor Empresarial nas áreas de planejamento e gestão empresarial, finanças e inovação.